Expô Dubai 2020: Presidente do Sindinova participou da comitiva mineira junto à delegação da FIEMG

0 Flares Filament.io -- 0 Flares ×

Países árabes

Empresários calçadistas já miram as nações árabes como segundo mercado exportador

Entre os dias 11 a 20 de novembro, mais de 200 integrantes da delegação da FIEMG, viajaram a Dubai, nos Emirados Árabes.  Desses, 150 são empresários de todos os setores industriais. O presidente do Sindinova, Ronaldo Lacerda, representou a indústria calçadista do Polo de Nova Serrana.

A feira, que é mundial, ocorre de cinco em cinco anos. Em busca de soluções mais sustentáveis e inovações para a indústria nacional, a missão, promovida pela Federação das Indústrias, levou empresários de áreas diversas, como mineração, energia, moda, alimentação e construção civil a fim de promover conhecimento e ampliação de novos negócios.

A Exposição de Minas Gerais no Pavilhão Brasil da Expo Dubai abriu suas portas ao mundo na quarta-feira (17/11). Dentre exibições, reuniões, fóruns, jantares e diversos compromissos na agenda, o propósito da excursão foi gerar negócios, fomentar oportunidades, apresentar força econômica, tecnológica, infraestrutura, turística, cultural e histórica do estado como um todo.

Exportações

Com cerca de 10 milhões de habitantes nos Emirados e mais de 400 milhões de pessoas somadas todas as nações árabes, os presidentes dos sindicatos puderam conhecer este grande mercado.

“O diferencial em relação a outros concorrentes, como os chineses, é a qualidade e diversidade. Conseguimos oferecer mais variedade de modelos e cores e temos maior flexibilidade no volume de encomendas”, compara Lacerda.

De acordo com o presidente do Sindinova, hoje, em torno de 95% das exportações do Polo Calçadista são concentradas na América do Sul. Ronaldo vê o mercado árabe como grande canal para futuras negociações.

“Percebemos que o outro mercado que vai seguir a América do Sul vai ser o árabe. Já temos empresas de Nova Serrana exportando para lá e eles valorizam muito o calçado brasileiro. Este pode ser o nosso segundo destino. Vamos, agora, trabalhar para entender um pouco mais deste mercado, buscar parcerias, trazer os clientes de lá para conhecer o nosso Polo. Começamos uma primeira prospecção e, agora, daremos mais passos porque temos muitas oportunidades com estes países”, afirmou Lacerda.

Selma Assis
Assessora de Comunicação | Sindinova

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io -- 0 Flares ×