Nova Serrana deve receber Centro de Formação Técnica Federal com cursos gratuitos, voltados para o Comércio e Indústria Calçadista

0 Flares Filament.io -- 0 Flares ×

Reunião na CDL IFMG

Durante reunião extraordinária, o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social recebeu no Salão da CDL o deputado Federal Newton Cardoso Júnior; o prefeito Euzébio Lago; o vice-prefeito Nelson Moreto; a prefeita de Pitangui Maria Lucia Cardoso; o professor, Rodney Barbosa; e representantes dos setores comercial e calçadista. No encontro, as autoridades falaram da visita a Brasília em busca de um instituto federal para Nova Serrana e de ações para proteger e impulsionar a economia local.

Centro de Formação Técnica para Nova Serrana

Um dos assuntos tratados na reunião foi a vinda de um Centro de Formação Técnica para Nova Serrana. Na semana anterior, uma comitiva formada por lideranças da cidade foi a Brasília levar ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, um documento comprovando a importância dessa formação de mão de obra para o desenvolvimento do comércio e indústria local.

“O deputado intermediou a reunião na capital e hoje, reforçamos com ele a importância desse instituto para Nova Serrana e região. Teremos cursos de graça para o comércio e para a indústria. Será um ganho muito grande para o município”, destacou o presidente da CDL e do Conselho, Rinaldo Correa.

O deputado acredita na vinda deste centro. “Estou trabalhando junto ao Ministério da Educação para viabilizar a infraestrutura e autorização para que possamos formar profissionais indispensáveis para a indústria municipal e áreas acessórias, como técnico em segurança do trabalho, em engenharia, medicina do trabalho”, garantiu Newton Jr.

Taxas antidumping e desoneração da folha de pagamentos

Para o setor calçadista, além do instituto, foi falado da importância de manter taxas que garantam a competitividade do produto nacional e sobre a forma do governo arrecadar o INSS.

“O deputado está trabalhando na manutenção da taxa sobre os calçados chineses. Sem essa taxa, eles entram no Brasil muito baratos e geram desemprego aqui, o que, consequentemente, afeta a economia e o comércio. Outra demanda nossa é manter a forma de cobrança do INSS. Hoje, o setor calçadista paga sobre o faturamento, o que beneficia a indústria e fomenta a geração de empregos formais. Um tempo atrás era sobre a folha de pagamento e inibia a geração de emprego formal. O deputado foi relator da medida que atualizou essa norma. Hoje, essa medida está em outras comissões e ele (o deputado) disse que ela deverá ser  aprovada no Congresso”, aponta Ronaldo Lacerda, presidente do Sindinova.

Newton Júnior ressaltou que está trabalhando para manter essas normas. “Estamos numa batalha grande junto aos Ministérios da Economia e das Relações Exteriores para garantir a proteção do mercado do calçado nacional. Temos medida antidumping contra a China e ela está correndo risco de vencer. Precisamos prorrogá-la, assim como precisamos promover a prorrogação das medidas de proteção contra países, como Indonésia e Vietnã, também nas tarifas externas comuns, para que não haja prejuízo para o mercado nacional. Isso será necessário enquanto nosso custo para geração de emprego e custo da burocracia impedir que o produto nacional seja produzido de modo mais barato”, afirmou o deputado.

Fonte: CDL Nova Serrana com adaptações

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io -- 0 Flares ×